Estresse - Vilão ou Mocinho?

Uma reflexão simples sobre esse sentimento tão complicado e incompreendido. Digo isso porque, às vezes, precisamos passar por momentos estressantes para que tenhamos um crescimento pessoal, profissional e espiritual.

Observando Como A Natureza é Sábia


Será que reclamamos demais?
A Natureza me deu a resposta.

Os Benefícios do Jejum / Técnicas Milenares Redescobertas


Venho estudando (e usando) a terapia do jejum, usada com mais frequência na época de Jesus Cristo e desconhecida pela maioria dos médicos e profissionais de saúde nos dias de hoje, há alguns meses, e posso afirmar que funciona se for feita de forma séria. Você deve ler e estudar o máximo que puder. Encontrei muitas dicas sobre jejum nos evangelhos apócrifos, onde mostram o diálogo de Jesus com os apóstolos em que ele explica sobre as necessidades de nosso corpo de carne. Nosso corpo não precisa se intoxicar com excesso de alimentos, mas se nutrir com o suficiente para termos energia e saúde. Isso também inclui a Nutrição Espiritual, através das orações e meditação, que é quando nosso corpo relaxa e entra em harmonia com nosso espírito, a natureza e o Universo (Deus).

Um texto que recomendo para uma compreensão melhor sobre as técnicas do jejum é o do Dr. Mario Sanchez, Jejum Racional, que pode ser lido na íntegra neste link: http://www.vivendodaluz.com/…/jornal_pr…/jejum_racional.html

No vídeo abaixo você verá como é a rotina de uma clínica de jejum, situada na Rússia, que pratica as técnicas milenares há mais de 50 anos. Este documentário possui mais de 40 minutos, mas essa parte é a única que já possui legenda (lembre-se de ativá-la antes de assistir).



Resumindo: Você não precisa passar fome ao fazer jejum, mas apenas reprogramar seu corpo a receber apenas alimentos saudáveis, nutritivos e que não irão agredir sua saúde ao ficar horas sem comer, pois seu organismo estará preparado para receber apenas a quantidade suficiente de alimentos que irão te dar energia, vitalidade e saciedade.


Podcast - TNT, Nossa Força Interior - análise do livro



Oi, pessoal! Nesta postagem eu estou apresentando meu primeiro podcast. É uma nova forma de expressar minhas ideias e espero que vocês gostem.

O assunto do podcast é uma análise que fiz do livro T.N.T, Nossa Força Interior. Tenho certeza que você vai gostar.

Meu Novo Cantinho de Leitura


Oi, pessoal! Demorei, mas estou aqui novamente para falar mais um pouquinho com vocês sobre minhas novas descobertas. Na verdade, desta vez, sobre meu novo espaço de leitura em minha casa.

Como vocês podem perceber na foto acima, minha esposa teve uma ideia em aproveitar materiais reciclados para a criação de uma prateleira com caixas de feira e paletes. As paletes nós ganhamos de uma amiga nossa, as caixas de feira são da loja de verduras de minha sogra.

No início eu fiquei revoltado, pois não gosto de tirar minhas coisas do lugar. Prefiro enraizar tudo para, somente depois, consultar. Porém, admito que, neste caso, errei feio, pois pude, finalmente, acomodar todos os meus livros e tirá-los das sacolas que eu havia usado para guardá-los e protegê-los da ação do tempo.

Apesar do meu stress inicial, valeu a pena. Mas tudo pode ser melhorado.


Na prateleira acima eu coloquei os livros dos autores que me influenciam para escrever meus contos, além de outros com assuntos que gosto de pesquisar. Ou seja: Meus Livros Preferidos.


Nestas outras duas prateleiras eu coloquei os livros separados por assuntos: Na de cima estão os mais religiosos, sendo que o primeiro em vermelho no lado esquerdo é o meu diário (que, na verdade, não o escrevo diariamente), acompanhados de uma câmera fotográfica Zenit, que foi um presente do tio de minha esposa (Diácono Zezinho). Um verdadeiro pai para mim que agora descansa ao lado de Deus após a sua dolorosa despedida causada por um câncer. Já na prateleira da direita eu coloquei outros com assuntos variados: religião, psicologia infantil, romance, técnicas de escrita e meus cadernos com os rascunhos de meus contos.

Lembro que passei um domingo inteiro lixando e envernizando as caixas e as paletes. 2 dias depois comecei a acomodar meus livros.

Hoje eu já mudei um pouco, mas os livros principais se encontram nos mesmos lugares e acompanhados de novos "amigos literários".

Um abraço a todos e até a próxima!

Livros Antigos e Raros - Minha Paixão de Infância


Quem me conhece sabe que sou apaixonado por livros antigos, raros e encadernados em capa dura. Por isso, hoje decidi "garimpar" mais algumas imagens deste tipo de livro. Para minha surpresa, achei várias fotos interessantes. Uma delas é a foto que inicia esta postagem e que foi tirada por uma fotógrafa européia chamada Kristy Noble, com sua câmera de médio formato. Ela diz em seu blog que possui um amigo chamado Ben e que este trabalha na instituição Maggs Bros Ltd, Fornecedores de Livros Raros e Manuscritos. Por isso ela decidiu visitar o local e registar. Há outras fotos, mas essa acima me chamou a atenção por causa do jogo de luz e sombra, que causou o aumento do volume das obras literárias.

Quando vejo um livro raro encadernado em capa dura, fico imaginando qual foi o processo usado para chegar naquele nível de acabamento. Imagino como o autor deve ter sofrido para preparar os originais, como o tipógrafo trabalhou para montar letra por letra a obra em chapas de metal, que eram molhadas com tinta para depois serem impressas no papel, uma a uma. Ou seja, o trabalho artesanal na confecção de obras literárias sempre me atraiu. Além disso, como gosto de coisas antigas, arqueologia, escritos antigos, pergaminhos... as coisas acabaram tomando um rumo natural para mim, resultando em minha paixão por essa mídia tão massacrada atualmente por pessoas amantes da tecnologia digital, os quais garantem que seu fim está próximo. Eu, particularmente, não acredito que isso irá acontecer. Principalmente por causa da curiosidade dos jovens que, nos dias de hoje, estão descobrindo aos poucos a beleza das tecnologias do passado. Exemplo: os discos de vinil, a máquina de escrever, as câmeras fotográficas analógicas, as fitas K7, que usávamos para ouvir música no walkman, entre outras coisas.


Gosto muito de estudar como era feita a costura das folhas para depois encaixar a capa dura dos livros. E a variedade de técnicas é imensa. Obviamente eu gosto de procurar por livros de histórias e contos, tanto na internet como em sebos aqui de minha cidade. Não gosto muito de livros técnicos, por exemplo. Afinal, como também sou escritor de contos nas minhas horas de folga, sonho com o dia em que terei minhas obras encadernadas com o mesmo carinho e capricho artesanal que se fazia no passado. Muito diferente do processo automático e digital de hoje.


A foto acima eu achei linda. Por isso fico imaginando como esses livros foram produzidos e o que deve conter neles. Literatura, religião, memórias? Ou seja, vejo esse meu fascínio por livros antigos como uma "caça ao tesouro", onde os piratas usavam pergaminhos antigos em suas buscas. No meu caso, em busca de boas histórias. Algo bem nostálgico.


Para finalizar, vou deixar a foto acima como assinatura desta postagem. E, se você gostou do que leu e também é fã como eu de livros antigos e raros, imagino como sua mente deve estar curiosa em saber o que está escrito nesses livros e em como seria bom ter em casa uma biblioteca ou até uma pequena estante ou mesa, ou, simplesmente, um cantinho onde pudesse acomodar e ler livros como esses.

Bem, vou ficando por aqui, pois tenho muitos livros antigos - encadernados em capa dura - que me aguardam ansiosamente para ser lidos. E, apesar de minha coleção ser muito pequena, me preocupo mais com a qualidade do que lerei ao invés da quantidade, pois não acho inteligente acumular montanhas de livros que nunca serão lidos somente por causa de sua beleza estética. Exceto se você tiver ganhado algum que esteja em outra língua que desconheça. Aí ficará como uma peça a ser admirada e folheada, mas nunca lida.

E quem se importa com isso?

Viva os livros impressos!

O Sapo e a Borboleta


Carolina, minha filha caçula, me disse que não tinha dever de casa. Por isso, como tenho facilidade para desenhar, fiz uma ilustração para que ela brincasse e guardasse. Obviamente, ela disse que quando chegar na escola, vai entregar para a "Tia Paola".

O destaque nesse desenho que mais me chamou a atenção foi o fato de Carol (como é mais conhecida) ter usado cores fortes para pintar. E eu achei isso muito legal.

A única coisa que falta, agora, é escrever a historinha. Quem sabe não vira um livro infantil?

Bem, fica aqui registrada minha idéia.

Então é isso! Hora de dormir!

Fui!

Direitos Autorais


Licença Creative Commons
Fernando Magaldi de Fernando Magaldi está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://fernandomagaldi.blogspot.com.br/.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em fermagaldi@ig.com.br.